Mulheres na programação: entenda o crescimento e as oportunidades do mercado

O universo da tecnologia da informação (TI) é majoritariamente ocupado por homens. No entanto, há um crescimento na presença das mulheres na programação, processo que representa a recuperação de um espaço que foi perdido com o tempo.

Essencialmente por fator cultural, a associação do universo tech ao gênero masculino começa a perder força, e há potencial para que o trabalho com linguagem em códigos ganhe cada vez mais espaço entre as mulheres. Há de se considerar, por exemplo, que a primeira programadora da história foi uma mulher — Ada Lovelace.

Apesar disso, no Brasil é significativamente baixa a presença feminina no mercado da programação: apenas 5,8% Entenda, neste post, como e por que as mulheres vêm resgatando seu espaço no setor da programação.

Mulheres na programação: entenda o mercado

Para as mulheres, ascender no mercado da tecnologia costuma ser algo desafiador. Uma pesquisa realizada pela Serasa Experian indica que somente 17% do total de programadores é do sexo feminino — estatística que pode ser explicada, também, pelo pequeno número de jovens matriculadas em cursos de tecnologia (apenas 15%).

No entanto, historicamente a representatividade do gênero feminino no mercado de tecnologia da informação (TI) nem sempre foi tão baixa.

Até meados de 1980, a participação das mulheres em áreas de atuação voltadas para a tecnologia era de cerca de 36%, e a maioria dos estudantes nos cursos de computação era do sexo feminino.

O lançamento dos primeiros computadores pessoais criou um estereótipo de que o mercado era voltado para os homens (com foco em games), o que afastou essas mulheres do segmento — isso somado ao quesito cultural que, até pouco tempo atrás, colocava a tecnologia e o universo geek como algo exclusivo do mundo dos meninos, enquanto meninas brincavam de bonecas.

No entanto, esse é um cenário que está mudando! Grandes empresas começam a estruturar e intensificar ações para reduzir a discrepância da presença feminina nos setores de tecnologia. Além disso, levantamentos mostram que cada vez mais é essencial colocar as mulheres em níveis similares de oportunidades, buscando equilíbrio e um mix maior de competências no ambiente de trabalho.

Perspectivas: como se desenvolver no mercado de TI

Uma pesquisa realizada em 2016 apontou que as mulheres são consideradas melhores programadoras do que os homens, mas apenas quando omitem o seu gênero. O resultado reflete o sexismo que perdura na indústria tech. No entanto, isso não deve desanimar as meninas que querem atuar nessa área.

Existem diversas iniciativas espalhadas pelo país e pelo mundo que auxiliam garotas de todas as idades a alcançarem o sonho da atuação em TI. Além disso, essas ações buscam quebrar o estigma do setor voltado apenas aos homens.

Entenda como e por que há potencial para o crescimento da presença das mulheres na programação!

WoMakers Code

WoMakers Code, fundado no Rio Grande do Sul, é um projeto que tem como objetivo incentivar a participação feminina na tecnologia por meio do desenvolvimento profissional e econômico.

Algumas das ações realizadas são palestras e treinamentos, além de mentorias e compartilhamento de conteúdo, com o objetivo de aumentar a participação feminina em um universo majoritariamente masculino.

{reprograma}

Reduzir o gap de gênero no setor de tecnologia é o objetivo do {reprograma}, que tem como foco ensinar mulheres cis e trans informações sobre o universo da programação. Até o momento foram formadas 5 turmas, com um total de 116 mulheres capacitadas para programar.

Mulheres na Computação

O blog Mulheres na Computação é um compilado de conteúdos valiosos para quem busca informação de qualidade sobre o mercado de TI. O objetivo do espaço é, entre outros pontos, reduzir o gap de gênero no setor. A fundadora do blog, Camila Achutti, é embaixadora da Technovation Challenge Brasil.

Technovation Challenge

A Technovation Challenge é considerada a maior competição de tecnologia e empreendedorismo para meninas! Presente no Brasil, o projeto desafia garotas de 10 a 18 anos a criar, desenvolver e lançar um aplicativo de celular que solucione problemas da comunidade. As vencedoras das etapas regionais são convidadas a participar de um pitch em São Francisco, na Califórnia.

PyLadies

A comunidade PyLadies está presente em vários países e também tem como objetivo auxiliar as mulheres a ingressarem no mercado de trabalho de TI. O foco é mostrar às garotas que não há limites para a capacidade intelectual feminina!

Women Who Code

Women Who Code é uma ação que tem como fim inspirar as mulheres a seguir carreira na tecnologia, oferecendo as ferramentas necessárias para o alcance profissional. Entre as ações estão projetos para educar empresas e ajudá-las a contratar e manter mulheres que são talentos em tecnologia.

ELAS_inTech

ELAS_inTech é um movimento colaborativo que incentiva o empreendedorismo feminino e o aumento do número de mulheres na tecnologia. Surgiu em 2017 e hoje conta com mas de 400 empreendedoras, designers, programadoras, advogadas, criativas e sonhadoras. Os quatro objetivos principais do manifesto são: Fala, Mentorias, Oportunidade e Investimento.

Agora que você já sabe como se desenvolver nos mercados de TI e programação, veja como o setor está em franca expansão!

Mercado aberto: oportunidades para crescer

De acordo com estudo realizado pelo EMIS Insights, o Brasil é um dos grandes mercados de TI no mundo. Além disso, o setor deve seguir em expansão até 2021, incluindo vendas de softwares e serviços.

O uso da tecnologia é uma ferramenta poderosa para o desenvolvimento não apenas de empresas, mas do futuro dos indivíduos, por isso é um mercado que está em constante crescimento — principalmente em meio à Indústria 4.0 e ao Big Data.

É estimado que até 2020 esse mercado dobre sua oferta de vagas, alcançando 1,4 milhão de postos de trabalho. No entanto, devem sobrar cerca de 400 mil posições. Ou seja, o segmento de TI tem uma significativa carência de profissionais, para todos os gêneros.

Separamos 5 dicas para aproveitar o bom momento do mercado e crescer — e que valem tanto para homens quanto mulheres.

  1. Aprenda inglês, afinal, o conhecimento na língua é essencial para que você possa aproveitar as melhores oportunidades do mercado.
  2. Frequente cursos, acompanhe as novidades do setor e encare os concursos de programação como uma forma de fazer networking e testar as suas habilidades. Não se esqueça de criar um portfólio e divulgar o que você sabe.
  3. Comece desenvolvendo o seu próprio site e aproveite para criar a sua identidade visual (com a ajuda de um designer). Expanda comercializando esse tipo de serviço.
  4. Teste as suas habilidades de desenvolver plugins para WordPress ou mesmo aplicativos para celular. Utilize os recursos disponibilizados pelo mercado.
  5. Para aumentar o seu conhecimento e melhorar a sua rede de contatos, tente se envolver com outros profissionais da área da programação ao participar de grupos de estudo.

A participação das mulheres na programação só tem a agregar ao universo da TI, tendo em vista que diminui barreiras e permite o desenvolvimento da área, que oferece oportunidades diversas.

Quer saber mais sobre o mercado de TI e suas possibilidades? Siga-nos nas redes sociais! Estamos no Facebook, no LinkedIn, no Twitter e no YouTube!