5 melhores práticas de UX design no desenvolvimento de sites

Durante o desenvolvimento de sites, é fundamental que haja um equilíbrio entre a apresentação do conteúdo e o bom funcionamento dos elementos interativos. Essa é uma das propostas do UX Design, um campo dedicado a entregar a melhor experiência para o usuário e determinante no sucesso de produtos digitais.

Continue a leitura e confira cinco das melhores práticas para você criar páginas web de destaque, com funcionamento simples e navegação agradável.

1. Pense na responsividade

Com a popularização dos dispositivos móveis, os usuários estão cada vez mais habituados a acessar a internet de seus smartphones e tablets. Por isso, eles já esperam que os sites estejam preparados para funcionar corretamente também em aparelhos de tela pequena.

A maneira mais recomendada de os desenvolvedores garantirem isso é por meio da responsividade — um conjunto de técnicas e configurações que permitem a um site se adaptar às dimensões da tela do dispositivo.

Com ela, você evita que os usuários se afastem dos seus sites devido a experiências ruins. Ampliar a visão da tela para poder enxergar uma fonte muito pequena ou rolar a página indefinidamente até encontrar o que precisa são algumas razões para frustração.

Vale lembrar que o Google também dá importância para sites preparados para aparelhos móveis. Nas buscas realizadas com esses gadgets, o mecanismo de busca considera essa compatibilidade como um dos fatores de posicionamento. Isso significa que as suas páginas dificilmente aparecerão entre os primeiros lugares nessas pesquisas se tiverem uma experiência ruim para quem utiliza um smartphone ou tablet.

2. Mantenha o design simples e funcional

Por mais que seja interessante criar um layout inovador para se destacar diante da concorrência, é importante ter cuidado para não exagerar. Existem certos padrões que as pessoas já esperam encontrar assim que entram no site.

Alguns exemplos são:

  • informações de contato no rodapé da página ou em uma página com o título “Contato” ou similar;
  • logo no canto superior esquerdo da página;
  • campo para pesquisa de termos dentro do site, no canto superior direito;
  • links com uma cor distinta do texto convencional.

Qualquer tentativa de fugir muito dessas e de outras convenções pode deixar seus sites mais complexos e difíceis de usar — algo que o cliente que lhe contratou certamente não vai querer.

Por esse motivo, uma medida bastante relevante é procurar entender melhor quais são os objetivos do público dele com o site. Pergunte quais são as características desses usuários, como o site poderá ajudá-los e o que eles esperam encontrar por lá.

Se o seu cliente não souber como responder a essas questões, sugira que ele faça pesquisas com esse propósito — o que nos leva à próxima dica.

3. Estimule a realização de pesquisas sobre o usuário

Existem diversas formas de fazer pesquisas sobre as características do público destinado a usar o site, mas elas podem ser extremamente caras — como é o caso de pesquisas de mercado. Sendo assim, proponha ao seu cliente o uso de ferramentas online como os Formulários do Google para fazer enquetes e ouvir a opinião dos consumidores.

Nesse tipo de pesquisa, é recomendável fazer perguntas que sigam esta linha:

  • Em uma escala de 0 a 10, qual é a probabilidade de você indicar o produto ou serviço a um amigo?
  • Quais características do produto ou serviço são mais importantes para você?
  • O que você sugere para deixar o produto ou serviço ainda melhor?
  • O que você mais gosta do atendimento quando entra em contato com a nossa empresa? E o que menos gosta?

Depois que o seu cliente reunir e avaliar todos esses dados, o ideal é que vocês extraiam juntos as informações que possam ser mais pertinentes para o desenvolvimento do site. São as necessidades e anseios do público que ajudarão a moldar as funcionalidades e a forma de uso das páginas web.

4. Tenha atenção à clareza das informações

Para que os visitantes de fato se mantenham engajados com os sites que você desenvolver, é essencial que eles não se sintam confusos durante a navegação. Por isso, garanta que as informações tenham uma linguagem clara e que permitam ao usuário entender quais tipos de tarefas ele poderá fazer dentro do site.

Vale lembrar que a clareza de informações não se refere apenas ao conteúdo textual. A forma como os elementos se distribuem visualmente na tela também interfere no modo que os visitantes entendem um site.

Sendo assim, avalie se a hierarquia entre os componentes está compreensível — se é possível distinguir qual elemento é mais importante que o outro —, se o tamanho da fonte é confortável para a leitura, se a cor do texto tem um bom contraste com o fundo, se o menu está facilmente acessível etc.

5. Cuide dos CTAs

Uma chamada para ação — ou call-to-action (CTA) — é uma mensagem, botão, imagem ou outro elemento que induza o visitante a tomar determinadas decisões dentro do site, além de servirem como facilitador para indicar ao usuário o que ele pode fazer.

Para que eles de fato chamem a atenção do visitante, devem se destacar dentro da página, mas sem perder a consistência com o design em geral. Nessas chamadas, o mais indicado é usar textos curtos, diretos e com verbos que motivem a pessoa a agir, como em “Leia este ebook”, “Conheça a solução” ou “Assine a newsletter”.

Por isso, vale a pena testar formas, cores e textos distintos para saber o que funciona melhor para o público do site.

Podemos perceber, portanto, que existem diversas maneiras de melhorar o UX Design dos seus sites e que incorporar essas práticas ao processo de desenvolvimento será vital para o seu sucesso. Assim, suas páginas web contarão com uma qualidade muito superior, seu trabalho será mais valorizado e você terá excelentes condições de aumentar sua base de clientes.

Gostou do nosso artigo? Tem outras dicas de UX Design que considera fundamentais para a construção de sites de destaque? Então, compartilhe nos comentários o que você acha que todo desenvolvedor web deveria levar em conta para otimizar a experiência do usuário!