Scrum: conheça as vantagens e desvantagens desse framework

Com a popularização das metodologias ágeis, frameworks cada vez melhores estão sendo elaborados baseados no que torna um processo de desenvolvimento otimizado, acelerado e eficiente.

Hoje, queremos dar um panorama sobre o Scrum, talvez o mais utilizado e com mais resultados positivos entre os métodos praticados na área. Entenda o que é, como ele funciona e por que você deve adotar:

O que é Scrum?

O Scrum muitas vezes é referenciado como uma metodologia ágil, mas a forma mais certa de conceituá-lo é como um framework de desenvolvimento.

Essa confusão existe porque o próprio termo “metodologia ágil” se tornou uma buzzword que generaliza qualquer método para otimizar processos de planejamento e execução.

Contudo,o Scrum é mais do que isso. Ele é um conjunto de ferramentas, práticas e processos que se encaixam na maioria dos fluxos de desenvolvimento de softwares e sistemas.

Ou seja, ele funciona como uma plataforma que vai indicar etapas de trabalho, quando fazer reuniões, o objetivo delas e como você vai dividir tarefas e seu próprio tempo de execução.

Isso funciona tão bem porque o Scrum foi elaborado analisando os elementos comuns que se tornam obstáculos e soluções em qualquer tipo de desenvolvimento. A partir daí, desenhou-se o fluxo mais eficiente para lidar com tudo isso de forma objetiva e, principalmente, ágil.

O que significa desenvolvimento ágil?

Para entender como o Scrum ajuda no desenvolvimento, é importante entender esse conceito de agilidade dentro do setor.

Agilidade é a entrega de valor em um produto ou serviço com mais velocidade. No agile, você testa hipóteses para alcançar o valor máximo de alguma coisa. É minimizar ao máximo os esforços que são desnecessários para a entrega real.

O resultado? Desenvolvimento simplificado e com ciclos de iteração mais curtos, que permitem um profissional ou uma equipe se adaptarem muito mais rápido a problemas que possam surgir ou novas demandas de mercado.

O que você ganha ao utilizar o Scrum?

O Scrum é principalmente voltado para processos de desenvolvimento que começam a se tornar mais complexos, onde estruturação e objetividade são fundamentais para manter um nível de qualidade sem perder tempo.

Isso acontece, por exemplo, quando você começa a trabalhar em times com 3, 4 ou 5 pessoas, quando você precisa balancear em uma só gestão a complexidade de um projeto maior e em fluxos de desenvolvimento em que você não sabe todo o contexto o tempo todo.

Portanto, o ideal é aplicar o Scrum em grupos com, no mínimo, 3 pessoas. Mas, ao implementar, você gera de retorno uma série de benefícios:

  • validação de valor;

  • teste de hipóteses;

  • trabalhar com um time;

  • saber o que será entregue, na priorização da entrega.

A ideia principal por trás do Scrum é ter todas as etapas do desenvolvimento em um fluxo bem definido, em que cada membro saiba o que fazer, por que está fazendo e qual é o seu próximo objetivo

Como ele funciona na prática?

Para que você consiga visualizar todas essas vantagens na prática, vamos explicar em termos gerais como funciona um Scrum ativo em projetos de desenvolvimento em equipes. Confira:

Os pilares do Scrum

Como já citamos, o que difere um framework de uma metodologia é que o primeiro é uma estrutura adaptável ao seu projeto, enquanto a segunda é um método a ser seguido a risca.

Nesse sentido, o modelo oferece peças para que você arquitete seus projetos ao redor delas. O scrum tem artefatos, que são o backlog do produto, o backlog da sprint e o incremento.

O backlog do produto são as atividades que devem ser desenvolvidas para ele, mas veja que essas atividades procuram ser o mais aderente ao teste daquela hipótese.

Por exemplo, a criação de um aplicativo para padaria, é preciso saber o que colocar nesse aplicativo (tela inicial, lista de padarias, lista de produtos, lista de compras, etc)

e as funções e atividades que são criadas e incluídas no produto, para então validar a hipótese.

É desse processo de análise que se quebra objetivos, responsabilidades, prioridades e monta-se o backlog e os sprints.

Os papéis dos profissionais

A partir daí, começa a execução do Scrum propriamente dito, seguindo prazos e processos que foram definidos anteriormente.

A estruturação então é feita dividindo papéis, que são:

Product Owner

O dono do produto é quem vai ter a ideia e vai ter a análise do negócio, que vai olhar para o mercado e definir as hipóteses que ele quer testar. Ele também é o dono do backlog do produto, geralmente o seu cliente ou a diretoria da empresa no caso de uma TI interna.

Scrummaster

É comum referenciar o Scrum como um framework fácil de entender e difícil de masterizar. Por isso, o time precisa de alguém responsável por apoiar a execução, gerenciar processos e remover impedimentos que estejam com o time.

Impedimentos são problemas e obstáculos que estão além da capacidade do time de desenvolvimento. Por isso, essa pessoa precisa ser uma ponte entre a visão do Product Owner e o que é possível ser feito na prática — tudo isso dentro do prazo e dos recursos disponíveis.

Time de desenvolvimento

São todos os desenvolvedores além do PO e do Scrummaster. O time é responsável e gerencia o backlog da sprint. Qualquer mudança deve ser autorizada pelo time, assim como o backlog do produto é responsabilidade do PO.

Então, o planejamento da sprint surge quando o time consegue fazer análise de estimativas, definir objetivos e designar tarefas. O backlog define o que eu vou poder entregar de acordo com os objetivos do cliente.

A importância do ciclo de iteração

Uma das grandes características do desenvolvimento ágil é encurtar a distância entre concepção, execução e validação.

Para o Scrum funcionar, é necessário coletar feedbacks constantes durante a sprint, que tem duração normalmente de 2 semanas.

O framework é formado por feedback, para testar e validar hipóteses — caso apareçam erros, o custo para conserta-los será menor que no produto final. Isso é feito por meio de reuniões de alinhamento diárias, que permitem gerenciar quase que em tempo real todos os processos de desenvolvimento.

Com uma estruturação bem feita, objetivos bem claros e papéis bem definidos, o Scrum pode parecer mágico para um profissional ou uma empresa. Ele naturalmente cria um foco em iteração, inovação e disrupção no seu trabalho, todos os dias.

Portanto, pesquise mais sobre o Scrum e comece a planejar sua implementação. Você vai ganhar agilidade e objetividade sem gastar mais recursos e, principalmente, sem abrir mão da qualidade no seu código.

Curtiu a dica? Então, assine a nossa newsletter!