5 filmes para mulheres que querem programar

As mulheres sempre representaram a tecnologia. Ao longo da nossa história grandes personalidades se tornaram símbolos de conquistas, como Ada Lovelace, Grace Hopper e muitas outras.

Separamos 5 filmes/documentários que buscam inspirar mulheres a entrarem no mercado da tecnologia. Confira:

// Estrelas Além do Tempo – 2016

Atrizes do filme Estrelas Além do Tempo

O longa se passa no começo da década de 60, onde os Estados Unidos e a União Soviética brigavam pela corrida espacial. Os soviéticos largaram na frente quando Iuri Gagarin fez a órbita da Terra em abril de 1961.

Quase um ano depois, em fevereiro de 1962, o norte-americano John Glen ultrapassou na disputa dando três voltas na órbita terrestre. Porém, o programa espacial não seria um sucesso sem o trabalho de um trio de mulheres negras. Vale lembrar que nessa época as leis de segregação racial nos EUA ainda estavam em vigor.

Mas o que cada uma fez?

Mary Jackson (1921 – 2005), interpretada pela Janelle Monáe, trabalhava analisando dados dos experimentos de voo e túneis de ventos. Além de ajudar outras mulheres a promoverem suas carreiras científicas dentro da NASA.

Katherine Johnson (está com 100 anos!), interpretada por Taraji P. Henson, começou trabalhando nos testes de voo, mas após os soviéticos darem o primeiro passo, John Glen pediu para ela fazer a análise de trajetória para a sua missão, a Freedom 7.

As trajetórias já tinham sido feitas por computadores, porém, Glen queria que Katherine fizesse os cálculos para ela ter certeza que estavam certas. Ele priorizou ela às máquinas!

Dorothy Vaughan (1910 – 2008), interpretada por Octavia Spencer, foi a primeira supervisora negra da NACA (agência anterior à NASA) e uma das únicas mulheres a estarem no posto. Ela garantia que as funcionárias recebessem promoções e aumentos merecidos, além de ser programadora especialista em FORTRAN, uma linguagem computacional da época.

// She Started It – 2016

Poster do documentário She Started It

As diretoras Nora Poggi e Insiyah Saeed acompanharam cinco mulheres por mais de 2 anos para criar esse documentário. O qual, conta a história delas para criar suas companhias de tecnologia.

O filme expõe as realidades estruturais que as mulheres enfrentam quando se tornam empreendedoras, incluindo a falta de modelos femininos e investidores, e a escassez persistente de financiamento disponibilizado para empresas lideradas por mulheres.

// CODE: Debugging the Gender Gap – 2015

Poster do Filme Code Debugging the Gender Gap

Este documentário aborda a diferença de gênero na engenharia de software. Assim como, explora as razões para as mulheres serem minoria dentro desta área.

A diretora Robin H. Reynolds busca inspirar jovens mulheres a seguirem carreira na ciência da computação ao descrever perfis de mulheres bem sucedidas na programação de computadores.

A obra também traça a história de grandes mulheres da programação, como Ada Lovelace e Grace Hopper, para mostrar que a programação pode ser criativa e lucrativa.

Além do documentário, foi idealizado um projeto, o {She’s} Coding, que fornece educação, recursos e diretrizes acionáveis ​​para quem quer aprender a codificar ou ajudar a colmatar a lacuna de gênero no campo da ciência da computação.

// Go Against the Flow – 2015

Poster Go Against the Flow

Este é outro documentário que traçou como 8 empresárias conseguiram ultrapassar barreiras e criarem seus negócios. Essas mulheres vão desde os que abandonaram a faculdade até os MBAs de Harvard e vencedoras do Shark Tank.

Elas compartilham suas percepções sobre como se tornar empreendedoras bem-sucedidas, desde começar a conceituar, construir tecnologia, contratar, obter financiamento e escalar até finalmente administrar a vida profissional.

Go Against the Flow, “Vá contra o fluxo” em tradução livre, está na lista de 5 filmes para mulheres em tecnologia e empreendedorismo da Hackbright Academy.

// CodeGirl – 2015

Poster do filme Codegirl

Todos os anos, a Technovation desafia meninas do mundo inteiro a criar um aplicativo mobile que possa solucionar algum problema social. Por esse motivo, a diretora Lesley Chilcott, decidiu fazer um filme contando a história de garotas de vários países que participaram dessa programação.

São 11 equipes participantes, dos Estados Unidos, Nigéria, Brasil e outros países. O time vencedor ganha 10 mil dólares para colocar o app em prática, porém, o aprendizado durante o processo é o que mais vale.

O objetivo da diretora é inspirar meninas em todos os lugares a seguir carreira em programação, capacitando-as com o conhecimento de que garotas como elas de todo o mundo estão aprendendo a codificar e desenvolver aplicativos que melhorem o mundo em que vivem.

Segundo a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad), hoje no Brasil apenas 15% das matrículas nos cursos de tecnologia são feitas por mulheres. E no primeiro ano de faculdade, 8 de cada 10 mulheres desistem de cursar faculdades de tecnologia.

Para o cenário da programação, no Brasil as mulheres são apenas 17%. Por esse motivo esses filmes/documentários são importantíssimos para incentivar jovens mulheres a seguirem carreira em tecnologia.

Conhece outro filme ou projeto que investe na área para as mulheres? Comente aqui!

Veja também a história da Amanda Silva, a “Menina das Estrelas”.