Como lidar com clientes: um guia rápido para programadores tímidos

Quando pensamos nas habilidades de que um desenvolvedor freelancer precisa para ter uma carreira de sucesso, é comum considerarmos como pontos fortes a facilidade de aprender, a aptidão para resolver problemas e conhecimentos técnicos de programação, banco de dados, infraestrutura, etc. Porém, outra competência essencial para esses profissionais é saber lidar com clientes.

Essa pode ser uma das maiores dificuldades de programadores tímidos, mas que é mais simples do que parece de se resolver, com algumas táticas para se comunicar melhor. Continue a leitura para conferir seis formas de alcançar esse objetivo!

Olhe nos olhos do cliente

Em situações de timidez, costuma ser difícil manter o contato visual por muito tempo durante uma conversa. Por mais que seja um pouco intimidador olhar nos olhos de pessoas que ainda não se conhece bem, esse é um sinal de comunicação importantíssimo.

Olhar nos olhos do cliente é uma maneira de gerar conexão. Ao fazer isso naturalmente — sem manter um olhar fixo —, você demonstra que está dando atenção a ele, que valoriza o que a pessoa tem a dizer e que tem interesse naquele assunto. É o princípio de uma boa comunicação, que também precisa contar com informações fáceis de se compreender.

Simplifique os conceitos complexos

É provável que o seu cliente não seja da área de tecnologia, o que exige que você explique os conceitos com os quais vai precisar trabalhar de um jeito mais didático. Algumas boas práticas para conseguir isso são:

  • procure usar analogias para deixar as ideias mais simples;
  • dê exemplos para facilitar a aplicação daqueles conceitos em um caso real;
  • use recursos visuais (desenhos em um quadro branco, tablet, guardanapo, etc.) para representar melhor a explicação.

Assim, além de passar mais segurança para o cliente — afinal, você demonstrou o seu conhecimento com uma linguagem de fácil compreensão —, evita-se mal-entendidos mais para a frente. Essa clareza deve ser a base da comunicação com aqueles que contratam seus serviços, se estendendo também para outros aspectos, como veremos a seguir.

Deixe claros os valores e os prazos

Assim que você terminar de mapear as demandas, é necessário determinar o escopo de trabalho para que tudo aquilo que você vai implementar fique claro. Aqui, não podem restar dúvidas que apenas o que está incluído no projeto será desenvolvido.

Em paralelo a essas especificações, é preciso definir um valor para as suas horas de trabalho, por isso não deixe que a timidez te impeça de cobrar do cliente o que precisa ser cobrado. Depois, determine um prazo para finalizar o software. Por fim, faça um documento especificando todos esses números e peça para o cliente assinar, de modo que você só comece o projeto com essa confirmação.

Se, ao longo do desenvolvimento, o cliente fizer algum pedido que esteja fora do escopo, tenha em mente que isso altera o andamento do seu cronograma, o que exigirá uma revisão dos custos e da data limite de entrega.

Seja transparente

Assim como você deve ser transparente em cobrar por tarefas que realmente tenham relevância no escopo do projeto, cobre um valor por hora justo baseado no seu esforço, conhecimento e experiência. Mas tenha em mente que a transparência também precisa existir quando as coisas derem errado.

Se você tiver algum problema que prejudique o que ficou combinado entre as partes, comunique isso ao cliente o quanto antes. Já que ele vai pagar pelo seu serviço, tem todo o direito de saber o que está acontecendo. A prioridade sempre é cumprir com os seus compromissos, mas problemas acontecem e é fundamental ser transparente quando eles aparecerem.

Por isso, dê valor às reuniões periódicas (nem que seja por videoconferência) e informe o que já está pronto, o que está em atraso e o que está previsto para ser entregue até o próximo encontro. A transparência não é só uma maneira de alinhar as expectativas, mas também uma ótima medida para gerar mais confiança e, consequentemente, fidelizar os seus clientes.

Confie nas suas competências

É comum que desenvolvedores tímidos fiquem inseguros sobre seus conhecimentos ou sobre sua capacidade de gerenciar projetos de software importantes e implementá-los com sucesso. Durante a interação com uma figura de autoridade — no caso, o cliente —, ficam preocupados com o que ela vai achar. Contudo, isso não precisa ser a regra.

Se você pensa assim, procure se lembrar de todos os desafios que superou para conseguir a experiência que tem em programação. Tenha em mente as realizações que foi capaz de conquistar, a dedicação para chegar até elas, enfim, tudo que precisou fazer para adquirir a experiência que tem hoje.

Essa mentalidade certamente vai ajudá-lo a admitir que é, sim, um excelente profissional, capaz de lidar até mesmo com os clientes mais exigentes.

Use o Rapport a seu favor

Outra medida interessante é estudar sobre o método Rapport, uma técnica bastante utilizada pelos times de vendas para aumentar as chances de conseguir negociações de sucesso. A ideia é promover uma relação de afinidade usando fatores relacionados a linguagem corporal e comportamento.

A sugestão de fazer contato visual, que explicamos no início do texto, é um dos elementos do Rapport. Além dele, outras estratégias que você pode usar são:

  • reproduzir alguns gestos e expressões do cliente de maneira sutil para estabelecer uma empatia maior — técnica conhecida como espelhamento;
  • atenção ao tom de voz para não se sobrepor ao cliente — procure sempre um equilíbrio e cuidado com a clareza da sua fala;
  • concentre-se na conversa e jamais interrompa a outra pessoa em sinal de respeito.

Vimos que lidar com clientes pode ser um grande obstáculo para programadores tímidos, porém, é uma situação contornável se você souber como treinar suas capacidades de comunicação do jeito certo. É claro que os conhecimentos técnicos são fundamentais, mas melhorar as habilidades sociais também é essencial para ter um caminho de sucesso como desenvolvedor.

Gostou do guia? Quer acompanhar as nossas novidades sobre o mercado de tecnologia, boas práticas de desenvolvimento e dicas para a rotina de um programador? Então, não deixe de assinar a nossa newsletter!