Conheça 7 ferramentas e sites que avaliam a qualidade do código

Não há nada pior que, após dedicar muito tempo escrevendo um algoritmo, ele apresentar erros e falhas de segurança. Independentemente da linguagem de programação trabalhada, a qualidade do código deve ser sempre uma preocupação do seu trabalho. Para evitar esse e outros problemas, é muito importante ficar atento para que o texto seja mais limpo e otimizado.

Quer saber como fazer isso? Neste post, será mostrado o que é preciso analisar na hora de escrever e os benefícios, além de 8 ferramentas para desenvolvedor web que auxiliam na hora de avaliar a qualidade do seu código. Boa leitura!

Por que analisar a qualidade do código no desenvolvimento?

Maior padronização entre os programadores

Muitas vezes é dito que programar é igual a caligrafia, cada um tem a sua maneira, mas muita das vezes nos deparamos com escritas que não conseguimos entender. O mesmo pode ocorrer com a programação: encontrar códigos de difícil compreensão.

Para isso, há ferramentas que ajudam a tornar o código mais uniforme e compreensível, auxiliando no desenvolvimento, tornando-o mais ágil. No entanto, caso o programador queira sair um pouco dessa formatação, é possível, mas é gerado uma espécie de formulário, mostrando qual orientação ele descumpriu.

Evitar práticas ruins de programação

Não planejar o tipo de acesso às variáveis e aos métodos, nomes muito grandes para variáveis ou métodos muito compridos são algumas dessas práticas. Por não configurarem erros de lógica ou de sintaxe, a maioria das IDEs não sinalizam esse tipo de ocorrência.

Portanto, para melhorar a qualidade do código e ter somente boas práticas de programação, o uso de outras ferramentas se faz muito necessário, pois elas têm artifícios extras, os quais os ambientes de desenvolvimento não têm.

Quais as métricas e pontos que devem ser analisados em um projeto?

Analisar as possíveis vulnerabilidades

Muitas das vezes os atrasos gerados no desenvolvimento se dão pela identificação tardia de falhas de segurança, o que faz com que o trabalho tenha que retroceder muito. Ter uma análise em tempo real possibilita identificar os problemas durante a fase de desenvolvimento, evitando ter que alterar muito o algoritmo para reparar essa falha.

Vale ressaltar que muitas brechas de segurança não são detectadas automaticamente com usos de ferramentas e IDEs, principalmente as falhas geradas por problemas de lógica, de configurações ou de permissões. Portanto, é importante se atentar a esse aspecto, para evitar ferir a privacidade, prevista no Marco Civil da Internet.

Fazer testes de segurança

É de suma importância a segurança para um software, como foi dito, mas mesmo que todos os cuidados sejam tomados durante o desenvolvimento, é preciso fazer testes na etapa final do processo, visando a identificar possíveis falhas ou confirmar a segurança do projeto.

As ferramentas normalmente realizam testes em tempo de execução, ou seja, o que é analisado é a execução do programa, vendo se nele há algumas falhas de segurança, como configurações incorretas, problemas lógicos ou protocolos inseguros, podendo acarretar no vazamento de dados pessoais. No entanto, vale ressaltar que como essas análises não são feitas em tempo de compilação, é necessário investir um tempo configurando as exceções e regras, para que o analisador cubra todos os cenários possíveis.

Quais os benefícios de desenvolver códigos limpos e otimizados?

Como dito antes, um código limpo — também conhecido pelo seu nome em inglês, clean code — auxilia no desenvolvimento coletivo, pois torna o algoritmo autoexplicativo, dando mais agilidade na programação. Além disso, há diversos outros benefícios, como:

Facilidade na manutenção

Mudar e atualizar um algoritmo é algum comum, portanto é importante deixá-lo preparado para qualquer alteração que o cliente desejar. Por exemplo, se for usada herança corretamente na criação de classes, caso seja necessário adicionar algum outro campo a essa classe, basta adicionar na classe mãe ou na interface e alterar o seu construtor.

Outra dica importante é sempre que um trecho de código é repetido muitas vezes, criar uma função — ou método, caso esteja trabalhando com orientação a objeto —, economizando tempo de escrita do código e tornando mais fácil qualquer alteração.

Melhor navegação

Imagine entrar em um supermercado em que as mercadorias não estão separadas por tipos, tem arroz do lado da água sanitária e do iogurte. Ficaria difícil saber onde está cada produto da sua lista, fazendo você demorar muito tempo.

Com um código mal organizado é a mesma coisa, fica difícil identificar o que pertence a determinada classe e onde se encontra o trecho que necessita manutenção. Portanto, a organização melhora a sua navegabilidade.

Quais as principais ferramentas para desenvolvedor web utilizadas para analisar a qualidade dos códigos?

Já foi dito a importância do clean code, de seus benefícios, e o que é necessário levar em conta na hora do desenvolvimento. Mas muitas das vezes somente o uso de IDEs não é suficiente para auxiliar na programação.

Portanto, aqui estão 8 dessas ferramentas extras, plugins e sites que podem ser integrados a qualquer ambiente de desenvolvimento.

1. Controle de versionamento

O primeiro item dessa lista é uma preocupação fundamental para qualquer desenvolvedor, principalmente aqueles que estão iniciando na carreira. É um apoio para se organizar, encontrar origem de bugs e, principalmente, não perder o seu trabalho.

Estamos falando de ferramentas de versionamento. São plataformas, programas e plugins que gerenciam as modificações nos códigos, registram o changelog e facilitam a visualização do que está no repositório ou no diretório de trabalho.

Estamos citando esse controle como primeiro tópico porque ele é fundamental no trabalho de um desenvolvedor, ainda mais web. Versionar não é apenas dar números em sequência, é a forma como você se organiza e estrutura seus projetos.

Ter um bom versionamento agiliza a correção de bugs, facilita a iteração sobre o código atual e evita retrabalho — quando você tem que refazer algo por ter perdido aquelas linhas ou ter mudado de ideia sem lembrar onde está a última mudança.

Existem IDEs que já têm o versionamento embutido em suas funcionalidades, mas existem alguns serviços especializados nisso, como o Subversion, o Mercurial e o Git. Aliás, podemos falar muito mais dessa última alternativa no próximo item.

2. GitHub

O software para controle de versionamento Git deu origem a plataforma mais popular entre desenvolvedores do mundo inteiro: o GitHub.

O serviço é ao mesmo tempo um repositório online para hospedagem de código e uma rede de divulgação e colaboração para diversos fins de desenvolvimento.

Funciona assim: o profissional pode subir seus trabalhos para a plataforma e manter nela todo o histórico de mudanças e versionamento, de maneira privada (só você vê) ou pública (permitindo a visualização ou a edição em conjunto com outros profissionais).

Existem alguns pontos por que recomendamos tanto o uso do GitHub:

  • hoje ele é o repositório mais utilizado como portfólio no mundo, tanto para conseguir um emprego quanto demonstrar a qualidade do seu trabalho para possíveis clientes;
  • o foco na comunidade do GitHub permite que você peça ajuda de maneira fácil, com opiniões sobre a qualidade do seu código e dicas para aprimorá-lo;
  • é possível que você se engaje em projetos que interessam, para aprender novas estratégias de trabalho, novas técnicas de programação e apresentar a sua contribuição para a comunidade;
  • o próprio repositório público é uma fonte incrível de inspiração e aprendizado, para aplicar o exemplo de outros profissionais como você no seu trabalho.

Ou seja, o GitHub é uma plataforma de versionamento poderosa e, ao mesmo tempo, um ambiente para aprender, colaborar e divulgar o seu trabalho. Não deixe essa passar.

3. FindBugs

Essa ferramenta é uma das mais populares no mercado para análise da qualidade do código. Ela se baseia em bug patterns, ou seja, uma lista de trechos de códigos que, quando aparecem podem indicar problemas.

Além de contar com essa lista, é possível criar as suas próprias orientações contra erros e má condutas de programação. Por exemplo, uso incorreto dos operadores booleanos, sobrescrever de maneiro equivocada os métodos ou declarações com tipos incoerentes.

4. PMD

PMD funciona de maneira semelhante ao FindBugs, analisando o código fonte a procura de bugs. Ele consegue identificar trechos que estão sem utilidade, ou que estão repetidos, abrindo a possibilidade de refatoração — que é modificar a estrutura do código para aumentar sua vida útil.

Um destaque dessa aplicação é a análise de complexidade ciclomática, ou seja, a quantidade de possibilidade de caminhos de o código pode tomar. Quanto maior esse número, mais difícil será acompanhar, testar e fazer a sua manutenção.

5. Checkstyle

Como o próprio nome diz, essa extensão tem uma preocupação maior com a parte visual do código do que com sua lógica. Se as linhas estão confusas e cada vez mais bagunçadas, essa aplicação pode ajudar a resolver esse problema. Algumas dos pontos que ele é capaz de verificar:

  • limite de tamanho(linhas ou caracteres);
  • indentação e espaço entre as linhas;
  • número máximo de parâmetros passados para um método;
  • tamanho do método.

6. PXtoEM

Vamos falar agora de uma pequena ferramenta que é uma mão na roda para quem trabalha com web. Você já deve ter percebido como alguns desenvolvedores mais inexperientes ainda utilizam pixels como unidade de medida em seus sites, enquanto os mais experientes e com códigos mais otimizados sempre utilizam EM.

Isso tem a ver com a natureza de um código voltado para web. Os pixels são uma unidade absoluta, enquanto o EM é uma unidade relativa a outras dimensões — principalmente a resolução.

Ou seja, é uma mudança no seu código muito importante para dar responsividade aos seus sites: todas as distâncias, tamanhos, margens são proporcionais ao canal em que estão sendo exibidos.

Com a tendência de que o acesso mobile seja em breve predominante para web, levando em conta a variedade de dispositivos e tamanhos de tela que temos, abandonar o PX pelo EM é fundamental.

Dito isso, esse não é um trabalho difícil. Para converter diretamente de uma unidade para outra, existe uma ferramenta especializada, como uma calculadora, que faz todo esse trabalho para você: o PXtoEM.

7. NewRelic

O desenvolvedor web sabe que código no localhost e código no ar se comportam às vezes como mágica. Tudo está certo no seu trabalho, sem bugs, qualidade perfeita. Mas, quando o código sobe para a versão de produção, algo acontece e tudo dá errado.

É por isso que hoje há muito valor na capacidade de visualizar e lidar com informações de um site no ar, a versão de produto. Entender interações e funcionalidades, debugar códigos, entender onde é possível otimizar scripts, tudo isso dá muito mais controle para quem trabalha em serviços contínuos.

É aí que entra uma ferramenta como o NewRelic. O serviço funciona como um dashboard para o código em funcionamento, com informações em tempo real sobre todos os aspectos do seu ambiente online — do frontend até o comportamento da infraestrutura.

Com integração para diversas linguagens (.NET, PHP, Java entre outros), o NewRelic possibilita mais controle sobre seu código em tempo real:

  • identificar erros que estão ocorrendo durante a produção;
  • capturar e seguir o stacktrace para descobrir a origem de problemas;
  • descobrir querys que estão funcionando de maneira inapropriada (lentas ou instáveis) e prejudicando a usabilidade;
  • geração de relatórios com indicadores de performance relevantes para entender a evolução do seu trabalho.

Esses são apenas os principais benefícios de trabalhar com uma plataforma que integra dados do desenvolvimento web. Ele permite uma visão mais ampla do código em produção e você pode usar isso para aprimorar ainda mais a qualidade do seu produto.

A programação avança rapidamente, com novas propostas e tendências, além de linguagens surgindo a cada dia, no entanto, a organização do código e a preocupação com bugs e falhas na segurança serão sempre pertinentes.

Padronizar o algoritmo, desenvolvê-lo de maneira a facilitar sua edição, analisar possíveis falhas e testar tudo no fim é essencial para evitar problemas e atrasos.

No entanto, fazer essa análise por conta própria pode gerar dificuldades, portanto utilizar um programa auxiliar pode ajudá-lo nessa tarefa, tornando esse um processo mais automatizado e o desenvolvimento da aplicação mais dinâmico.

Isso tudo é ainda mais importante quando falamos de ferramentas para desenvolvedor web. Quem trabalha nessa área, precisa não só de um código otimizado e bem escrito, precisa de ajuda para versionar, controlar e garantir um deploy sem problemas.

Esperamos que nossas dicas tenham sido suficiente para isso. Se o post foi útil para você, venha nos seguir no FacebookLinkedInTwitter e YouTube!