Conheça 3 ferramentas e sites que avaliam a qualidade do código

Não há nada pior que, após dedicar muito tempo escrevendo um algoritmo, ele apresentar erros e falhas de segurança. Independentemente da linguagem de programação trabalhada, a qualidade do código deve ser sempre uma preocupação do desenvolvedor. Para evitar esse e outros problemas, é muito importante ficar atento para que o código seja mais limpo e otimizado.

Neste post, será mostrado o que é preciso analisar na hora de escrever e os benefícios, além de 3 ferramentas para avaliar a qualidade do seu código. Boa leitura!

Por que analisar a qualidade do código no desenvolvimento?

Maior padronização entre os programadores

Muitas vezes é dito que programar é igual a caligrafia, cada um tem a sua maneira, mas muita das vezes nos deparamos com escritas que não conseguimos entender. O mesmo pode ocorrer com a programação: encontrar códigos de difícil compreensão.

Para isso, há ferramentas que ajudam a tornar o código mais uniforme e compreensível, auxiliando no desenvolvimento, tornando-o mais ágil. No entanto, caso o programador queira sair um pouco dessa formatação, é possível, mas é gerado uma espécie de formulário, mostrando qual orientação ele descumpriu.

Evitar práticas ruins de programação

Não planejar o tipo de acesso às variáveis e aos métodos, nomes muito grandes para variáveis ou métodos muito compridos são algumas dessas práticas. Por não configurarem erros de lógica ou de sintaxe, a maioria das IDEs não sinalizam esse tipo de ocorrência.

Portanto, para melhorar a qualidade do código e ter somente boas práticas de programação, o uso de outras ferramentas se faz muito necessário, pois elas têm artifícios extras, os quais os ambientes de desenvolvimento não possuem.

Quais as métricas e pontos que devem ser analisados em um projeto?

Analisar as possíveis vulnerabilidades

Muitas das vezes os atrasos gerados no desenvolvimento se dão pela identificação tardia de falhas de segurança, o que faz com que o trabalho tenha que retroceder muito. Ter uma análise em tempo real possibilita identificar os problemas durante a fase de desenvolvimento, evitando ter que alterar muito o algoritmo para reparar essa falha.

Vale ressaltar que muitas brechas de segurança não são detectadas automaticamente com usos de ferramentas e IDEs, principalmente as falhas geradas por problemas de lógica, de configurações ou de permissões. Portanto, é importante se atentar a esse aspecto, para evitar ferir a privacidade, prevista no Marco Civil da Internet.

Fazer testes de segurança

É de suma importância a segurança para um software, como foi dito, mas mesmo que todos os cuidados sejam tomados durante o desenvolvimento, é preciso fazer testes na etapa final do processo, visando a identificar possíveis falhas ou confirmar a segurança do projeto.

As ferramentas normalmente realizam testes em tempo de execução, ou seja, o que é analisado é a execução do programa, vendo se nele há algumas falhas de segurança, como configurações incorretas, problemas lógicos ou protocolos inseguros, podendo acarretar no vazamento de dados pessoais. No entanto, vale ressaltar que como essas análises não são feitas em tempo de compilação, é necessário investir um tempo configurando as exceções e regras, para que o analisador cubra todos os cenários possíveis.

Quais os benefícios de desenvolver códigos limpos e otimizados?

Como dito antes, um código limpo — também conhecido pelo seu nome em inglês, clean code — auxilia no desenvolvimento coletivo, pois torna o algoritmo autoexplicativo, dando mais agilidade na programação. Além disso, há diversos outros benefícios, como:

Facilidade na manutenção

Mudar e atualizar um algoritmo é algum comum, portanto é importante deixá-lo preparado para qualquer alteração que o cliente desejar. Por exemplo, se for usada herança corretamente na criação de classes, caso seja necessário adicionar algum outro campo a essa classe, basta adicionar na classe mãe ou na interface e alterar o seu construtor.

Outra dica importante é sempre que um trecho de código é repetido muitas vezes, criar uma função — ou método, caso esteja trabalhando com orientação a objeto —, economizando tempo de escrita do código e tornando mais fácil qualquer alteração.

Melhor navegação

Imagine entrar em um supermercado em que as mercadorias não estão separadas por tipos, tem arroz do lado da água sanitária e do iogurte. Ficaria difícil saber onde está cada produto da sua lista, fazendo você demorar muito tempo.

Com um código mal organizado é a mesma coisa, fica difícil identificar o que pertence a determinada classe e onde se encontra o trecho do código que necessita manutenção. Portanto, um código organizado melhora a sua navegabilidade.

Quais as principais ferramentas utilizadas para analisar a qualidade dos códigos?

Já foi dito a importância do clean code, de seus benefícios, e o que é necessário levar em conta na hora do desenvolvimento. Mas muitas das vezes somente o uso de IDEs não é suficiente para auxiliar na programação, portanto, aqui estão algumas dessas ferramentas extras. Todas elas são plugins que podem ser instaladas em ambientes de desenvolvimento.

1. FindBugs

Essa ferramenta é uma das mais populares no mercado para análise da qualidade do código. Essa ferramenta se baseia em bug patterns, ou seja, uma lista de trechos de códigos que, quando aparecem podem indicar problemas.

Além de contar com essa lista, é possível criar as suas próprias orientações contra erros e má condutas de programação. Por exemplo, uso incorreto dos operadores booleanos, sobrescrever de maneiro equivocada os métodos ou declarações com tipos incoerentes.

2. PMD

O PMD funciona de maneira semelhante ao FindBugs, analisando o código fonte a procura de bugs. Essa ferramenta consegue identificar trechos que estão sem utilidade, ou que estão repetidos, abrindo a possibilidade de refatoração do código — modificar a estrutura do código para aumentar sua vida útil.

Um destaque dessa aplicação é a análise de complexidade ciclomática, ou seja, a quantidade de possibilidade de caminhos de o código pode tomar. Quanto maior esse número, mais difícil será acompanhar, testar e fazer a sua manutenção.

3. Checkstyle

Como o próprio nome diz, essa extensão tem uma preocupação maior com a parte visual do código do que com sua lógica. Se os códigos estão confusos e cada vez mais bagunçados, essa aplicação pode ajudar a resolver esse problema. Algumas dos pontos que ele é capaz de verificar:

  • limite de tamanho(linhas ou caracteres);
  • identação e espaço entre as linhas;
  • número máximo de parâmetros passados para um método;
  • tamanho do método.

A programação avança rapidamente, com novas propostas e tendências, além de linguagens surgindo a cada dia, no entanto, a organização do código e a preocupação com bugs e falhas na segurança serão sempre pertinentes. Padronizar o algoritmo, desenvolvê-lo de maneira a facilitar sua edição, analisar possíveis falhas e testar tudo no fim é essencial para evitar problemas e atrasos.

No entanto, fazer essa análise por conta própria pode gerar dificuldades, portanto utilizar um programa auxiliar pode ajudá-lo nessa tarefa, tornando esse um processo mais automatizado, tornando o desenvolvimento da aplicação mais dinâmico.

Agora que você sabe da importância de manter um código limpo e ferramentas para ajudá-lo, que tal conhecer algumas das melhores práticas de UX design no desenvolvimento de sites?