Conheça as linguagens de programação mais utilizadas do mercado

As diferentes linguagens de programação ajudam a compor um universo de diversas possibilidades para os profissionais da área. Cada uma com suas características, muitas delas são utilizadas com frequência no cotidiano de quem trabalha nesse segmento, sendo ferramenta fundamental de atuação.

Algumas merecem destaque por serem as mais populares e oferecerem mais eficiência no trabalho de programação. Este post vai trazer mais detalhes sobre as principais delas, além de citar como escolher as melhores opções de acordo com o cliente e o projeto. Confira!

Quais são as linguagens de programação mais populares?

Programar consiste em utilizar combinações de códigos para registrar informações sobre o comportamento de um sistema, que pode ser um software, uma aplicação ou, na maioria dos casos, um site da web. Esses códigos de programação são feitos por meio das linguagens, que registram os diferentes comportamentos daquela página diante de uma ação do usuário.

Os códigos também definem questões mais simples do funcionamento, assim como as características do layout, que precisam ser devidamente programadas.

Para registrar todas essas informações, as linguagens são indispensáveis. Elas funcionam como várias regras que, quando combinadas da maneira adequada, sinalizam uma atividade, uma característica ou um comando.

Por mais que seja confuso ver tantas linguagens de programação com características distintas, elas apresentam basicamente os mesmos resultados, mas algumas são mais adequadas para trabalhos de programações específicas. Dessa forma, é de grande importância conhecer as principais entre elas.

Atualmente, o mercado de trabalho conta com algumas linguagens que oferecem melhores possibilidades de programação por meio de suas funcionalidades. A seguir, você pode conhecer as mais relevantes, entendendo melhor as suas características e os projetos adequados para usá-las.

Java

Java é, sem dúvidas, uma das linguagens de programação mais populares e utilizadas por desenvolvedores e programadores de todo o mundo. A principal característica que dá origem a isso é sua grande versatilidade, sendo utilizada tanto para páginas quanto para o desenvolvimento de aplicativos mobile — especialmente os da plataforma Android.

Esse espaço foi conquistado com o tempo, muito favorecido pelo desenvolvimento da tecnologia e das aplicações, seja para smartphones e tablets, seja para o próprio ambiente HTML.

Sua similaridade com linguagens mais antigas permite que os programadores trabalhem com mais facilidade, fato que foi muito importante para a popularização do Java.

Outra característica importante é que essa é uma linguagem orientada a objetos, ou seja, entende tudo o que precisa ser programado como objetos, facilitando a interação entre eles, desenvolvendo seus comportamentos e suas funcionalidades com melhor desenvoltura.

Por mais que a programação com Java se torne mais trabalhosa em todo o seu processo, qualquer alteração que precisar ser feita acontecerá de forma muito mais simples e prática, graças ao seu modelo de organização de objetos. Sendo assim, se um projeto tem perspectiva de crescimento, desenvolvê-lo sob Java é a certeza de uma escalabilidade descomplicada no futuro.

Linguagem C

Uma das linguagens de programação mais antigas, a C é também bastante tradicional e, naturalmente, muito usada — especialmente quando direcionada a projetos de plataformas Windows, já que a Microsoft a adotou cedo.

A principal vantagem da linguagem C é sua leveza, exigindo pouco das máquinas que a rodam, o que pode ser uma característica decisiva na hora de fazer uma escolha. Essa característica se torna um contrapeso ao fato de C ser mais antiga, o que pode impedir sua escolha por parte de alguns programadores.

Essa leveza de C permite que ela seja a principal linguagem para aparelhos que têm sistemas pequenos, como eletrodomésticos e dispositivos de todos os tipos, sempre com a característica de serem simples e com pouca exigência de desempenho.

Outra vantagem importante que a linguagem C apresenta é a sua característica de ser estruturada, o que dá mais dinamismo na hora de programar. Além disso, sua biblioteca de funções predefinidas torna o trabalho mais intuitivo, com apoios valiosos ao profissional.

Linguagem C++

A linguagem C++ pode ser considerada uma otimização da C, desenvolvida para projetos de softwares, games e qualquer aplicação que seja mais pesada na execução, exigindo bastante do hardware que vai rodá-la. Nessa evolução da linguagem C, C++ recebeu a possibilidade de trabalhar com a característica de orientação a objetos.

Por ser poderosa, C++ continuou em constante evolução desde sua criação, na década de 80, sendo hoje muito utilizada no mercado de games, que vive franca ascensão e é um dos mais rentáveis do mundo.

Essa é uma das maiores provas da capacidade de C++, tendo em vista que os jogos de hoje se mostram cada vez mais pesados e realistas, em tecnologia constantemente otimizada.

Sua capacidade de desempenhar bem na programação de softwares e programas que exigem bastante da parte gráfica das plataformas, C++ também é bastante utilizada no desenvolvimento de ferramentas de edição de vídeo e imagem.

Linguagem C#

Outra importante variação da linguagem C, C# também se tornou bastante popular ao longo dos anos graças a características como seu uso como máquina virtual, sua portabilidade para outras plataformas e seu fácil entendimento.

Entretanto, C# acaba sendo mais difícil de aprender do que outras linguagens de programação mais modernas, o que talvez tenha colaborado para uma queda em seu uso por parte dos profissionais da área. Por ser da família, C# também tem maior robustez e é bastante usada na área de desenvolvimento de games, assim como C++.

A tecnologia de C# também oferece uma série de inovações que facilitam o uso da linguagem, permitindo mais escalabilidade. Sua utilidade também é aplicada para sistemas mais complexos, como os de gestão de empresas, que têm altos níveis de integrações e oferecem soluções diversas ao cotidiano.

Python

Mesmo sendo uma das linguagens de programação desenvolvidas no final da década de 80, Python segue sendo uma das mais difundidas e utilizadas até hoje. Entre suas principais características está a sua fácil aprendizagem, o que faz dela a linguagem favorita de quem está começando na profissão.

Python é de código aberto e pode ser utilizada em qualquer plataforma, o que fez dela muito acessível. Além disso, seu código é bastante claro, permitindo que o programador se organize de maneira mais clara, otimizando o trabalho e também permitindo que alterações sejam feitas de maneira mais prática.

Ela também é uma linguagem que trabalha de forma orientada a objetos, tornando ainda mais prática a programação com base nela. Sua versatilidade também é um ponto interessante, já que ela é útil para web, sistemas de soluções de todos os tipos e até mesmo games.

JavaScript

Por maior que seja a semelhança do nome com Java, JavaScript não é da mesma família da primeira linguagem relatada neste post. A única semelhança maior é a sintaxe do código, mas isso tem mais a ver com a inspiração na linguagem C, icônica e que precedeu muitas outras.

JavaScript é direcionada basicamente ao desenvolvimento web, focada nos navegadores. Ela é a base para a programação desse tipo de ferramenta, otimizando a integração do código de uma página com seu banco de dados, em busca de qualquer mídia que precise ser carregada para o acesso do usuário.

Com a constante adaptação de páginas para o mobile, buscando recursos de responsividade, mais do que nunca JavaScript é uma linguagem importante e que desempenha um papel ainda muito relevante na programação web.

Perl

Pouco utilizada no mercado brasileiro, Perl uma uma das linguagens de programação que mais tem caído em desuso, mesmo mantendo constantes atualizações. Ela é bem fácil de aprender, se tornando bem acessível graças ao fato de ser código aberto.

Perl é também bastante versátil e pode ser utilizada desde aplicações web mais simples a jogos de médio porte. Ela é uma ótima alternativa para programadores que trabalham com o mercado internacional, já que fora do Brasil ela ainda se mantém com certa relevância.

Assembly

Uma das linguagens de programação mais antigas, Assembly foi criada na década de 50, marcando época naquele período. Seu uso é considerado de nível intermediário, mas indicado para projetos simples.

Seu código também era um pouco complexo, mas foi uma revolução quando surgiu, já que naquela época a programação era feita com linguagem de notação binária.

Por mais que seja bastante antiga e mais complexa do que as alternativas mais modernas, Assembly ainda é uma linguagem relevante para projetos em que a aplicação utilize bastante o desempenho do hardware. Entretanto, no Brasil ela é considerada de nível baixo, sendo pouco usada.

Ruby

Com o slogan de “o melhor amigo do programador”, a linguagem Ruby é realmente bastante fácil de lidar, com uma sintaxe simples, no modelo de orientação a objetos e com legibilidade muito tranquila.

Suas características oferecem muita produtividade ao programador que trabalha com ela, graças aos seus recursos rápidos, descomplicados e até mesmo poderosos.

Essa agilidade que a linguagem Ruby proporciona faz dela muito útil para negócios de pequeno e médio porte, como as startups, já que é possível desenvolver aplicações de forma rápida mas escaláveis, podendo ser modificadas para crescer sem nenhum problema futuramente.

A propósito, atualmente ela tem sido bastante usada no Brasil justamente no mercado de startups, graças às suas características. Mundialmente, a linguagem Ruby está presente em empresas como o Twitter.

Qual é a melhor linguagem de programação?

Ao falar de linguagens de programação, sempre haverá um questionamento básico: qual é a melhor? Dos diferentes tipos, algumas trazem características mais adaptáveis e mais fáceis na hora de aprender, como você viu.

Em contrapartida, outras linguagens são bem mais complexas, mas poderosas o suficiente para atender a demandas mais específicas e exigentes.

Para o programador, antes de pensar a respeito de qual é a melhor linguagem, é fundamental entender que cada uma delas vai se aplicar de maneira mais precisa a um projeto diferente.

As linguagens de programação podem ser usadas de forma ampla em qualquer projeto, mas a escolha ideal é o que vai proporcionar o desempenho otimizado no momento da programação. Em uma analogia, é interessante pensar as linguagens como ferramentas para concluir um trabalho.

Em um exemplo, se você precisa encaixar um parafuso em uma peça e tem apenas uma faca para ser usada como ferramenta, você vai ter dificuldades, vai demorar um pouco mais, mas vai conseguir, certo? O mesmo acontece na programação.

Você até pode usar as linguagens de programação que não são as mais adequadas, mas vai conseguir entregar seu projeto, mesmo que isso gere mais esforços e dificuldades. No exemplo citado, a chave de fenda era a ferramenta ideal, enquanto na programação é ideal usar a linguagem adequada ao projeto.

A importância de saber um pouco de cada

Um programador que é capaz de dominar mais de uma linguagem certamente terá mais sucesso nos seus projetos. Quanto mais conhecimento houver em diferentes leituras, maiores são as chances de ele utilizar uma linguagem adequada a um projeto.

Isso permite que o profissional esteja sempre na atividade de otimização, fazendo as escolhas ideais para desenvolver uma aplicação eficiente e com um código simples, que futuramente vai permitir a escalabilidade.

Para o mercado, ter esse domínio amplo de várias linguagens é naturalmente muito positivo. Há empresas que exigem conhecimento específico em códigos, o que varia de acordo com suas atividades e as necessidades dos seus sistemas.

Tratando da atividade freelancer, talvez seja ainda mais importante dominar várias linguagens de programação, já que isso vai gerar oportunidades frequentes para trabalhos de todos os tipos.

Não ter um emprego fixo tem pontos positivos e alguns nem tanto, então se você consegue ser um programador completo, suas chances de ampliar as possibilidades de trabalhos são muito boas.

As exigências de cada área

Como você viu nas principais linguagens de programação deste post, cada uma delas tem uma proposta mais direcionada a um tipo de projeto — umas para aplicações gráficas poderosas, outras para web e assim por diante de acordo com as necessidades de desenvolvimento.

Isso ajuda o programador a entender que ele pode pensar no seu trabalho de duas formas: se dedicando a um tipo de programação específica ou entendendo que é melhor saber todas as linguagens para não limitar seu campo de trabalho.

Essa é mais uma ideia que dificulta a questão da escolha da melhor linguagem, reforçando que o mais importante é que o profissional dessa área esteja pronto para se desenvolver na maioria de códigos que ele puder, já que não há uma receita pronta.

Se o trabalho for para web, é fundamental que o programador domine linguagens com foco nesse segmento, seguindo dessa mesma forma para os outros tipos de programação em ambientes distintos.

O que o mercado tem exigido

As tendências de mercado também regem muito a qualificação do programador atualmente, em um movimento que é muito natural e compreensível. Afinal, se um profissional busca vagas no seu segmento e vê exigências maiores para determinados tipos de linguagens, certamente ele vai entender que precisa se dedicar a esse aprendizado.

Atualmente, a tecnologia tem se desenvolvido cada vez mais em vertentes como mobile e web, o que influencia diretamente as exigências relacionadas a linguagens de programação, já que projetos desses tipos precisam ser desenvolvidos.

No cenário nacional, é possível afirmar que Python, Java e Ruby têm sido as linguagens mais relevantes e exigidas aos programadores. Além dessas, JavaScript segue como uma das principais, graças à interminável demanda de aplicações voltadas para a web — além de sua eficiência tanto no trabalho de front-end quanto em back-end.

Não quer dizer que o programador deve focar apenas em aprender essas linguagens, já que há muito mais do que elas, como você viu neste post. Entretanto, quando falamos de oportunidades no mercado e levamos em consideração o perfil das empresas estabilizadas e as que estão surgindo, pode ser importante se aperfeiçoar nessas linguagens.

A atualização é fundamental

Em qualquer segmento ou nível profissional o conhecimento é chave para a relevância na atuação. No caso da tecnologia e da programação, a evolução dos procedimentos e das linguagens é constante, especialmente em códigos abertos que contam com a colaboração dos usuários.

Dessa forma, é fundamental se manter sempre atualizado, lendo artigos, participando de fóruns, indo a eventos e estudando sempre. A relevância de um profissional desse segmento depende de como ele se adapta às novidades e o quão atualizado ele se mantém ao longo do tempo.

No Brasil, há bastante eventos da área de programação, servindo como ótimas oportunidades para quem deseja saber mais sobre as tendências que estão por vir. Nessas ocasiões, profissionais da área, influenciadores e especialistas trazem pautas importantes para o momento do segmento, então é sempre bom se fazer presente.

Como escolher a melhor opção para cada cliente?

Parte do trabalho do programador também é saber identificar o que o projeto no qual ele está envolvido necessita. Cada cliente tem uma exigência específica, de acordo com sua aplicação. Seja para web, seja um sistema de grande porte, ter o domínio das melhores linguagens de programação é o grande desafio.

Se esse programador tem conhecimentos vastos, é muito mais fácil para ele poder se envolver em qualquer trabalho, tendo a capacidade técnica de entregar um resultado eficiente para o que o cliente exige.

A melhor opção de linguagem utilizada estará sempre relacionada ao que é necessário no determinado projeto. Para um freelancer, por exemplo, fica clara a importância de dominar diferentes códigos, pois assim ele não vai se limitar em seus trabalhos.

Ao estar empregado em agências e empresas, geralmente é mais fácil atender às exigências de uma linguagem específica, o que se torna até certo ponto uma situação confortável para o programador. Entretanto, é sempre bom ressaltar que um profissional relevante ao mercado é aquele com conhecimentos amplos, já que o dinamismo do segmento é grande e as tendências mudam rapidamente.

O porte das empresas diz muito sobre o que elas vão precisar nas suas aplicações. Para empresas mais modernas e que necessitam de mais agilidade na finalização de sistemas, algo mais leve é o ideal. Em contrapartida, companhias de grande porte precisam de projetos robustos e que já subam prontos. A seguir, veja melhor essas diferenças.

Startups

As startups e empresas de menor porte são aquelas que exigem menos robustez nas aplicações, o que se encaixa melhor com linguagens de programação mais simples, com sintaxe facilitada e que permitam concluir projetos de maneira mais rápida.

Esse tipo de empresa abre mais espaço para subir um projeto inicial com mais agilidade, podendo ser otimizado com o passar do tempo, sem tantas preocupações. Nesse caso, as melhores opções podem ser linguagens como Ruby e Python.

Empresas de maior porte

Empresas grandes não têm tanto espaço para modificações durante a execução e o uso de um sistema. Isso faz com que os projetos sejam os tradicionais monólitos, ou seja, construídos de uma só vez em trabalhos mais complexos, mas já fechados e prontos para usar.

As exigências nesse tipo de programação são em relação às linguagens que oferecem melhor desempenho para esse tipo de aplicação maior, ainda que o tempo de conclusão do projeto seja mais extenso. As variações de C (C, C++ e C#), Java e JavaScript são as mais adequadas nesses casos.

Discuta com programadores

A comunidade de programadores é mundialmente conhecida como bastante receptiva, com muitas trocas de ideias e debates interessantes sobre linguagens, tendências e tudo o que é relacionado à atuação profissional.

A dúvida ao pensar um projeto com determinada linguagem pode acontecer com qualquer programador, especialmente se ele nunca trabalhou em alguma aplicação daquela anteriormente. Nesse caso, o melhor a se fazer é buscar a opinião de alguém que já teve essa experiência.

As discussões em fóruns, eventos e até mesmo em bate-papos informais com colegas de profissão são fundamentais para o desenvolvimento. Nesses momentos é possível ter um insight ou chegar à conclusão sobre qual é a linguagem ideal para o seu próximo projeto.

As linguagens de programação são amplas e quase todas oferecem a chegada ao objetivo final, mas a escolha da mais adequada é o que fará com que o trabalho seja otimizado, dinâmico e qualificado. O profissional da área precisa ampliar seus conhecimentos, trabalhando da forma ideal.

Gostou do post? Precisa dar um up na sua carreira? Então clique aqui, monte o seu DevCard e compartilhe seus conhecimentos em programação com seus contatos na internet!