Software de código aberto: o que é e quais são os principais do mercado

Como desenvolvedor(a), você já deve ter experimentado diversas soluções para otimizar e aprimorar o seu trabalho. Entre elas, algumas com certeza eram software de código aberto.

Mas você sabe exatamente como esse tipo de programa funciona e por que ele é tão utilizado na área? Neste post, vamos responder todas as maiores dúvidas que você pode ter sobre o assunto. Confira:

O que é um software de código aberto?

O trabalho de desenvolvedores nunca foi apenas escrever um código. Trabalhar na área significa lidar com licenciamento, pesquisa, testes,  registrar uso de ferramentas e funcionalidades, respeitar direitos autorais e intelectuais sobre os softwares que utiliza para criar o seu próprio.

A iniciativa do código aberto, conhecida mundialmente como open source, existe desde o começo da informática e surgiu como uma abordagem alternativa ao código proprietário.

No modelo proprietário, para cada requisito funcional de um software, ou uma feature, é necessário também desenvolver requisitos não-funcionais de ordem social ou burocrática, um processo que resulta na determinação de uma propriedade intelectual àquele desenvolvedor ou empresa.

O software de código aberto é um programa em que o criador do código, seja uma empresa ou um desenvolvedor apenas, abre mão dessa propriedade, em prol de pessoas que se beneficiem dele.

Podemos usar como analogia uma receita de bolo: o open source é como compartilhar essa receita para quem quiser, permitindo (dependendo do tipo de licença sobre o qual ele está registrado) que outras pessoas adicionem ingredientes ou mudem processos de acordo com suas necessidades.

Como o custo de desenvolver é alto para qualquer projeto mais ambicioso, incentivar a colaboração em torno de uma comunidade apareceu como uma alternativa incrível, que vem se provando funcional até hoje.

Exemplos de software open source

Para contextualizar o que é um software de código aberto, podemos utilizar alguns exemplos de casos de sucesso. A Linux Foundation e a Apache Foundation são hoje as entidades principais envolvidas nesse movimento.

O Linux, inclusive, se popularizou nas empresas exatamente pela liberdade que seus colaboradores têm de abrir o código, entendê-lo e modificar suas características de acordo com as especificidades da TI.

Outro exemplo popular nos sistemas operacionais é o Android. Mesmo que a marca esteja associada ao Google primariamente, todo o sistema é open source e está disponível para que a comunidade o estude, modifique, ajuste e até recriar o software da forma que desejar.

Quais as principais características de um software de código aberto?

Existem alguns pontos que sempre surgem na discussão do melhor tipo de código para trabalhar — proprietário ou aberto. Portanto, vamos apontar os principais e mostrar como o open source se comporta em cada uma dessas questões:

Customização e exclusividade

O que muitos desenvolvedores confundem no uso do código aberto é a relação entre colaboração e privacidade. Um ponto importante a ser abordado aqui é que utilizar software open source não significa que a sua solução final precisa ser compartilhada também, ou que a segurança de dados pode ser comprometida por usar soluções disponíveis em código aberto.

A ideia desse modelo é que uma comunidade inteira contribua para o desenvolvimento de uma solução estável, completa e útil, mas cada um pode defender e manter suas próprias soluções, tudo depende sob qual licença o autor do código original publica seu código open source.

Dando um exemplo mais fácil de entender, o sistema operacional da Apple, o MacOS, é um código proprietário, mas teve como base o Unix BSD.

Mesmo que você trabalhe com open source, o seu sistema pode ter soluções e ferramentas exclusivas. Ele pode ser usado como um alicerce comum que cada desenvolvedor usa para construir sua própria solução.

Evolução

Uma grande vantagem do open source sobre o código prioritário é que, mesmo não tendo dinheiro envolvido diretamente, as soluções abertas costumam ter um trabalho muito mais intenso de iteração e atualização.

Isso acontece por um motivo simples: quanto maior a comunidade em volta de um software, mais pessoas estão testando, modificando e experimentando em cima daquele código.

Com isso, todos os que utilizam aquele open source se beneficiam de novas funcionalidades, correções de bugs e outras melhorias no software — em alguns casos, diariamente. É uma forma de se manter desenvolvendo com o topo da tecnologia sem precisar investir tempo em pesquisa.

Segurança

Ainda mais importante, as atualizações rápidas conferem um nível de segurança que muitas vezes é melhor do que as soluções proprietárias.

Outro mito envolvendo o open source é que, pelo fato do código ser aberto a qualquer um, esse tipo de sistema é muito vulnerável a ataques.

Mas é exatamente o contrário. Como a comunidade está monitorando e analisando o software o tempo todo, qualquer brecha ou falha é identificada rapidamente e corrigida. Tanto é verdade que sistemas de alto risco, como governamentais e instituições financeiras, todos utilizam soluções customizadas de open source.

Por que utilizar open source em seus projetos?

Hoje em dia, quem desenvolve se beneficia muito do open source por se tratar de projetos colaborativos. Se você começa um projeto, em vez de começar do zero, pode procurar saber se alguém ou alguma comunidade já está fazendo algo semelhante

Ou seja, você se beneficia por não precisar pegar o projeto em um estágio inicial. E mesmo que o estágio atual não atenda, alguma etapa anterior do software pode atender.

Mas é bom lembrar que mesmo para o código aberto existem tipos de licença. Algumas são mais permissivas, que você pode pegar e fazer o que quiser, inclusive fechar e vender, e existem outras que devem ficar sempre abertas e disponíveis para a comunidade.

Seja qual for a sua solução, a maior vantagem é o recebimento de valor e poder contribuir com a comunidade. O software open source tem um valor vindo de uma massa de colaboradores que, se alguém fosse criar algo semelhante em uma empresa, teria que gastar muito para pagar pelo mesmo resultado.

Além disso, softwares open source bem estruturados possuem roadmaps e milestones que facilitam o seu progresso no desenvolvimento por saber o quê e como será feito no futuro para aprimorar aquele código. Você pode inclusive fazer parte disso e contribuir para o futuro e a evolução daquele programa, sem a influência de terceiros.

Por que apostar no Openstack da Locaweb?

O Openstack é um projeto open source em consórcio com grandes empresas como a Nasa, Rackspace, Canonical (responsável pelo SO Ubuntu), IBM, Red Hat, Cisco e HP. A proposta é um virtualizador de datacenter como se fosse um datacenter as a service — por isso tantas empresas grandes investem nele.

Essa é a razão também de nós da Locaweb apostarmos na solução Openstack. É um sistema de apoio ao desenvolvimento na nuvem robusto, prático e fácil de usar. Com ele, oferecemos virtualização de recursos de computação, armazenamento e soluções de segurança.

Por que você não aposta também em um software de código aberto e vem fazer uma parceria conosco? Entre em contato agora e conheça a Cloud Openstack da Locaweb! Com o poder de customização e performance do nosso serviço, você pode revolucionar a forma como você desenvolve e como apoia a transformação digital na sua empresa.